Conheça nossos serviços

Estaca Raiz


A estaca raiz é uma estaca moldada in loco, executada através de perfuração rotativa ou roto-percussiva, revestida integralmente no trecho em solo por meio de tubo metálico que garante a estabilidade da perfuração. No trecho em rocha, seja na passagem de matacões ou no embutimento no topo rochoso, ela é executada a partir da perfuração interna ao tubo de revestimento, por processo roto-percussivo.

A execução desse tipo de estaca compreende a seguinte seqüência: perfuração auxiliada por circulação de água, instalação da armadura, preenchimento do furo com argamassa e remoção do revestimento e aplicação de golpes de ar comprimido. A perfuração, executada na vertical ou inclinada por equipamentos perfuratrizes, é realizada por rotação de tubos rosqueados a medida que a perfuração avança, sendo a tubulação posteriormente recuperada. Para possibilitar a perfuração dos mais diversos materiais (alvenaria, concreto, matacão, solo, cascalho ou rocha), utilizam-se martelos de fundo acionados por ar comprimido.

Após a perfuração atingir a cota de projeto, instala-se a armadura com o auxílio do guincho auxiliar da perfuratriz. Uma vez instalada a armadura, é introduzido o tubo de injeção até o final da perfuração para proceder à injeção, de baixo para cima, até que a argamassa extravase pela boca do tubo de revestimento, garantindo-se assim que a água ou a lama de perfuração sejam substituídas pela argamassa. A argamassa confeccionada em misturador de alta turbulência, geralmente acionado por motobomba, para garantir a homogeneidade da mistura.

Completado o preenchimento da argamassa, é rosqueado na extremidade superior do revestimento um tampão metálico ligado a um compressor para permitir a aplicação de golpes de ar comprimido durante a extração do revestimento. A medida que os tubos vão sendo extraídos, o nível da argamassa vai abaixando, necessitando ser completada antes da aplicação de novo golpe de ar comprimido, ou injeção de argamassa pressurizada.

O uso da estaca raiz é indicado em casos como reforço de fundações, fundações de obras com vizinhanças sensíveis a vibrações ou poluição sonora, ou em terrenos com presença de matacões, água, rocha ou até mesmo concreto. Isso se deve ao fato de o processo de perfuração não provocar vibrações, nem qualquer tipo de descompressão do terreno, além da versatilidade dos equipamentos utilizados, que sendo de pequeno porte, podem acessar áreas com dimensões limitadas.


Tubulão


Tubulões são indicados para fundações onde existe a presença de água e com grande capacidade de cargas, confeccionados com camisas metálicas e de concreto em todo tipo de solo e nas rochas.

Os tubulões podem ser feitos em locais de solos com pouca resistência ou em fundações dentro da água, como em pontes. A construção de um tubulão poder ser feita a partir de dois métodos, céu aberto ou ar comprimido:

- Tubular céu aberto: trata-se de uma escavação profunda, cavada manualmente, nos tubulões de céu aberto, o pessoal desce para alargamento da base ou limpeza do fundo. Esse tipo de fundação é pertinente quando há solos bastante rijos. É possível escavar o solo mecanicamente com equipamentos de perfuração, mas, ainda assim, a solução exige a presença de um operário para executar a base.

- Ar Comprimido: esse é o método recomendado para solos com presença de lençol freático sem possibilidade de esgotamento, devido ao risco de esmoronamento das paredes do fuste.

É necessário encamisar a estrutura do fuste com anéis de concreto ou tubulões de aço, e alcançar o solo apropriado para fazer a base do tubulão. O tubulão deverá permanecer comprimido durante algumas horas após a concretagem da base visando preservar a qualidade do concreto lançado. Para que o tubulão seja feito com segurança, é necessária a presença de engenheiros e mão de obra especializada. A C2 FUNDAÇÕES oferece esse suporte ao cliente com garantia de excelentes resultados. Nos preocupamos com a segurança de nossa equipe, devido a isso treinamos e capacitamos todos os membros sobre tubulões, bom ambiente de trabalho e reciclagem de conhecimento constantemente.


Estaca escavada


As Estacas Escavadas mecanicamente caracterizam-se por serem moldadas no local após a escavação do solo. São executadas através de torres metálicas, apoiadas em chassis metálicos ou acopladas a caminhões ou esteiras em ambos os casos, são empregados guinchos, conjunto de esteiras de tração e haste de perfuração hidráulica, constituídas de trados em sua extremidade, procedendo-se o avanço através de prolongamento telescópico.

O diâmetro das perfuratrizes varia de 0,30 a 1,30 metros, podendo-se executar desde estacas de pequena profundidade com equipamento de pequeno porte até grandes profundidades, com equipamento de torre para 27 metros.

A vantagem desta solução está na grande mobilidade e produção do equipamento, permitindo a amostragem do solo escavado, atingindo a profundidade determinada em projeto e a ausência de vibração, podendo ser executada próximo à divisa sem dano às construções vizinhas.


Estaca de conteção e Tirantes/Grampos


Um dos métodos de contenção periférica de solos é designado cortinas de estacas, cada vez mais utilizado na realização de obras de construção civil, principalmente na zona urbana, e vem ocupar uma solução bem satisfatória como parede de contenção.

A importância e a ocupação dos espaços urbanos, tem determinado, nos últimos anos, o aumento progressivo do numero de estruturas e infra-estrtura enterradas, construídas com o apoio de obras de contenção, condicionadas por razoes de ordem geológica, geotécnica e vizinhança.

É bastante corrente o recurso a estacas moldadas servindo numa mesma obra como solução de contenção periférica e fundações para pilares de periferia, de modo a possibilitar as escavações necessárias sem afetar construções vizinhas e perturbando o menos possível as atividades normais da cidade.

A solução de Estacas de Contenção consiste fundamentalmente na perfuração e concretagem de uma linha estacas no terreno, podendo ser justapostas ou espaçadas, sendo posteriormente escavado um dos lados do solo.

Dependendo da altura e carga sobre o solo, tem-se a necessidade de linhas de ancoragens, podendo ser utilizado à estrutura da obra ou a execução de tirantes passivos ou ativos no solo. As linhas de ancoragem ou tirantes podem ser executadas em vários níveis da cortina de estacas, dependendo da necessidade.

Os tirantes, geralmente são compostos por cordoalhas de aço ou por uma monobarra metálica, onde podem ser protendidos na sua execução. A protensão é um artifício para introduzir, em uma estrutura, um estado prévio de tensões. Quando os tirantes são protendidos, são chamados de tirantes ativos. Quando não são protendidos, são tirantes passivos. Os tirantes ativos aplicam uma força na estrutura de contenção contra o maciço. Os passivos, não - eles ficam esperando para que ocorra a solicitação deles. O tirante passivo também é conhecido como chumbador ou grampo.

A determinação do tipo de solução - passiva ou ativa - também é determinada depois dos estudos geológicos, seguindo as necessidades de projeto. Da mesma forma, não há orientações pré-determinadas para a escolha dos materiais dos tirantes, onde os mesmos serão definidos na fase de projeto.

Free WordPress Themes, Free Android Games